segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Conspiração a meu favor

Meus planos para o final de semana até a quinta -feira por volta das 23 horas era ficar em casa assistindo ao Rock in Rio e no domingo ir ao show do Criolo. Bem, como eu disse era, até a abençoada da Carol escrever algo mais ou menos assim no msn: "Minha mãe não vai mais pro Rock in Rio, tá afim de ir?"
A positiva veio na sexta pela manhã, junto com toda a emoção de saber que finalmente veria uma das banda que mais amo na vida: RED HOT CHILI PEPPERS! ♥

Tudo pronto, parti para o Rio de Janeiro, cheguei lá por volta das 14h30. O tempo não estava dos melhores, céu nublado, vento e chuviscos, mas nada que tirasse minha empolgação. Para chegar até o local do evento foi preciso pegar mais dois ônibus (que foi uma aventura a parte), o motorista pensava que estava em uma pista de fórmula 1! Acompanhada de alguns cariocas nada educados e debaixo de chuva passei a catraca da cidade do rock.

Todo o frenesi de estar em um dos maiores festivas de música do planeta tomou conta de mim. Pela volta que dei por lá deu pra perceber a estrutura incrível: a rock street muito linda, com casinhas fofas que vendiam comida, bebidas e artigos do rock in rio. Além do coreto que sempre tinham uns músicos animando a galera.

Por volta das 19h00 começaram as apresentações no palco mundo. Por incrível que pareça eu vibrei com todas as bandas. Me emocionei com Capital Inicial, vibrei e tomei muita chuva com Stone Sour e relaxei com Snow Patrol (confesso que sentei na metade do show deles, pois não aguentava mais de dor nos pés e tinha que guardar minhas forças para assistir Red Hot).

Quando as pimentas califórnianas entraram no palco, a sensação de ver meu sonho realizado foi indescritível! Com um set list que mesclava os hits com músicas do novo álbum, a banda me fez esquecer qualquer dor, sono e cansaço. Me renovava a cada acorde e agradecia  por estar ali. Quando eles tocaram a minha música favorita Under The Bridge não aguentei, as lágrimas vieram a baixo. Tremia o tempo todo, pulava como se não houvesse amanhã. O sorriso e o grito me acompanharam por 1h41 de show. Apresentação com direito a homenagem para o filho da Cissa Guimarães e algumas palavras em português. Fui embora com a sensação de ter dado o melhor de mim no show.

Obrigada universo por conspirar ao meu favor!

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

É isso

A gente não tem química
Tem biologia, tem geografia
A gente tem história e religião
(Letuce) 
Nós temos tudo isso que a Letuce disse. E mesmo assim não estamos juntos.
Queria saber qual é a dificuldade? Não venha me dizer que é complicado, porque não é!
Se a vontade de ficar junto for maior, não tem o porquê da complicação.


Vem, vamos continuar nossa história. Apagar as reticências e deixar tudo tão bonito como foi um dia.

Continuo precisando de você.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Coração de espuma

Tô menos esperando enfim que Letuce possa embalar minha noites.
.

De todas as coisas, eu espero que você permaneça, em mim.Imensidão de suspiros.

domingo, 11 de setembro de 2011

Mais um ciclo

Quando você completa mais um ano de vida - no meu caso cheguei aos 23 anos - começa a perceber que ainda existem vários objetivos a serem traçados. Metas para alcançar.

Quero conhecer tantos lugares, pessoas, viver experiências. Sei que ainda dá tempo de errar, se arrepender. Ainda dá tempo de chorar por amor não correspondido, de ficar no colo da mãe e pedir cafuné. Dá tempo de acordar de ressaca, de usar roupa curta. Tem tempo pra dormir de maquiagem, de sair na quinta e voltar no domingo. Ainda posso ser inconsequente.

Quando você completa mais um ano de vida, acredito que um ciclo acaba e outro novinho como uma folha em branco pronto para ser escrito, se inicia. Para esse novo ciclo determinei o fim do choro sem motivo, o fim do orgulho que só me atrapalha, o fim do medinhos bobos. Chega de ser escolhida, agora quero escolher.

Junto com os meus 23 anos e com o novo ciclo, espero que venham pessoas incríveis e experiências inesquecíveis, muito amor, leveza e tranquilidade. Como já dizia o poeta: "QUE SEJA DOCE!"


Gostava dessa época, minha única preocupação era não perder o horário do Castelo -Rá -Tim -Bum.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Lado bom

Sou dessas que tem urticária a dar satisfação, ter a obrigação da ligação diária. De limitações e sacrifícios, essas palavras/ações que fazem parte dos relacionamentos e os deixam mais pesados do que realmente precisam ser. Aos menos foi o que sempre ouvi. "Para uma relação de sucesso você precisa fazer certos sacrifícios"...

Além dessa chatice toda, há o tal do ciúmes: para uns é o perfume da relação, para outros sinônimo de insegurança e briga sem motivo - me encaixo no segundo grupo. Enfim, sei que todo o relacionamento tem um lado ruim, aliás, tudo tem um lado ruim. Mas há aspectos na vida - e acredito que a vida amorosa é uma delas - é possível viver só o lado bom da coisa.

É bem melhor só ficar no cafuné, no beijo demorado, no abraço apertado. Dividir a cama de solteiro ou um sorvete. Perder parte do filme, porque se perdeu no olhar dele. É bem melhor ficar só na risada fácil, na cumplicidade, na conversa por horas. No companheirismo, na surpresa, na declaração de amor, no bilhetinho no bolso da calça. Na descoberta a dois.

Acho que todo mundo seria mais feliz.