domingo, 28 de outubro de 2012

Busca vida


Agora me sinto mais leve, mais serena.
Foi que foi dito, foi dito, e não dá pra voltar atrás.
Está tudo as claras, não há mais dúvidas.
O "se" não existe mais.
Arrependimento também não.
E seja o que tiver que ser. Está tudo bem.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Terra amada

Como vocês sabem, sou recifense nascida em São Paulo. Gosto de tudo que tem lá: a música, o clima, o sotaque, as praias... Navegando pelo dont touch (que tem uma dona pernambucana) assisti um vídeo chamado Caminhos de Recife, nem preciso dizer que é lindo né?! Minha vontade de passar um tempão lá só aumentou. 


Caminhos de Recife (Timelapse) from Julio Brunet Rocha on Vimeo.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Somos infinitos

Sam: - Porque eu e todos que amo escolhem pessoas que nos tratam como insignificantes? 
Charlie: - Nós aceitamos o amor que acreditamos merecer.


Pelo diálogo dá para ter uma ideia do filme. Aliás, um dos mais lindos que assisti este ano. As vantagens de ser invisível.



sábado, 20 de outubro de 2012

180 cartazes

Tem um tumblr chamado 180 cartazes para sair da fossa. A criadora do espaço está passando por uma desilusão amorosa e, todo o dia, ela posta um cartaz com essa temática.
Entre os 46 postados, este aqui foi que eu achei mais lindo e doloroso.


Triste né, quando um sentimento tão bonito acaba parecendo que foi um erro.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Thiago Pethit

Ontem a tarde, estava no facebook, quando me deparei com uma postagem na página do cantor Thiago Pethit informando que iria fazer um pocket show gratuito na Fnac da Paulista. Como alguns de vocês devem saber, trabalho nos arredores da Paulista, e para chegar na Fnac é um pulo. Não pensei duas vezes: fui pra lá. 
Tudo foi muito em cima da hora, e ninguém quis ir comigo. Antes isso seria motivo suficiente para não ir, detesto ficar sozinha. Porém, desta vez foi diferente, eu fui sozinha, (como  mulher independente e segura que sou, cof cof).



Cheguei na loja meia hora antes de começar o show, vi o palco sendo preparado e a breve passagem de som. No local não tinha mais do que 40 pessoas, alguns felizardos como eu, conseguiram lugar para sentar (fiquei bem na frente do amado), enquanto outras se exprimiam no lugar demarcado pela franquia.
Thiago é um encanto em forma de cantor, tocou seu novo álbum quase que completo e mesclou com sucessos do CD anterior. Foi tudo muito intimista, o set list feito na hora, a interação com a platéia, o jeito meio tímido que dançava. Até um gritinho de meu nome é Gal  ele soltou quando estava conversando com a gente! Foi mágico.
Acho que por conta de estar sozinha, fiquei mais sensível do que o normal. Confesso que umas lagriminhas rolaram quando ele cantou Forasteiro Mapa-Mundi. Saí da Fanc mais leve e feliz.






O Estrela Decadente dá para baixar no site. Clica lá, é de graça: http://www.thiagopethit.com

domingo, 14 de outubro de 2012

Sem título

Vazia. É assim que sou. É assim que me descobri. 
Conversei com a minha mãe hoje, porque ela intuitiva que é, percebeu que não estava (estou) legal. Me perguntou o que eu tinha, como me sentia... essas coisas. Foi aí que me dei conta: não sinto nada. Não sei se é pelo fato de que minha vida anda uma chatisse, nunca acontece nada, sempre com a rotina de trabalho/casa/faculdade; (e não é reclamando do meu emprego não, longe disso, eu o adoro!), mas nada consegue me animar. Nada.
As pessoas dizem que quando a gente menos espera, as coisas acontecem. Então tá, né... 

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Sem (des)esperar

Qualquer encanto que restava, foi embora junto com a chuva que caiu ontem em São Paulo, e com o meu brinde duplo ao desapego. Muah.



Separo os seus anseios dos meus
Comparo com olhos de quem está além
Preparo um jeito de te esquecer
Disparo minhas forças para renascer
Separo, paro, comparo, paro, preparo, paro, disparo

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Cósmica

Era para ser   mais uma entrevista para o meu TCC. Noite com clima agradável e a lua cheia davam o toque que faltava. Numa mesa de bar a entrevista foi ganhando tom de conversa despreocupada, sem medo de perder a hora. 
Como se dois amigos que não se viam há muito tempo estavam colocando o papo em dia. Mais do que minhas perguntas respondidas, descobri como a vida pode colocar pessoas realmente interessantes no nosso caminho. 
Percebi o quanto posso aprender em poucas horas de conversa, e o quão produtiva e reflexiva pode ser um bate-papo com alguém que você conheceu há pouco. Notei também que ainda não sei de nada desse mundão. 
Por essas e outras que estou amando o tema do meu trabalho de conclusão de curso e que pretendo sim, levá-lo mais adiante. Lov.

Uma frase que nunca vou esquecer. "Fui buscar água de Lua pra dar de beber ao meu amor..." Porque o impossível não é cruel.