domingo, 30 de dezembro de 2012

Dois mil e doce

Este ano não começou da melhor maneira. Em janeiro, sai do meu primeiro estágio e uma pessoa que gosto muito, saiu da minha vida de forma inesperada. Então, para distrair, fui para a casa de uma amiga que morava em outra cidade e lá começou a minha sina de conhecer pessoas ótimas.
Se aconteceu algo de bom nesse ano foi conhecer pessoas. Gente que agregou muito conhecimento; gente que me mostrou um mundo de uma perspectiva diferente; gente que fez com que me conhecesse melhor; gente que veio para ficar na minha vida.
Sem contar meus antigos amigos. Ah, esses amigos, como sou agradecida de tê-los em minha vida. Foi um ano de estreitar laços de amizades e firmar confiança.
Comecei a trabalhar em uma agência de propaganda e foi uma experiência inesquecível. Foram nove meses de aprendizado intenso. Falo de aprendizado tanto profissional, quanto pessoal, aprendi lições que jamais pensei que aprenderia. Venci desafios; falei para mim mesma por diversas vezes: "porque não?" e lá fui eu vencer as batalhas que travava comigo mesma.
Fiz minhas primeiras tatuagens, tirei meus piercings. Mudanças por fora que acabaram refletindo por dentro, (geralmente é ao contrário né, mas se tratando de mim...).
Tomei decisões e atitudes que não conseguiria tomar anos atrás. A frase "tudo ao seu tempo" nunca fez tanto sentido como neste ano. 2012 foi muito bondoso comigo, me reversou altas doses de sorte. Fui à shows que achei que não daria para ir, ganhei um prêmio da faculdade que nunca tinha ganhado... Enfim, a sorte andou ao meu lado. Foram tantas sensações, tantas experiências... Falei o que vinha na cabeça, me deixei levar para ver onde daria e não me arrependo de nada. 
Mas, nem tudo foi sorriso. 2012 me tirou uma pessoa que eu amo muito, uma pessoa que agora mora no meu coração e nos meus sonhos. 
Apesar dos pesares, foi um ano doce. Agora, jornalista devidamente formada, vamos ver o que 2013 me reserva. 
Pode vir que estou preparada, ano novo!




domingo, 16 de dezembro de 2012

O mundo é nosso!

22 anos após a primeira conquista do Campeonato Brasileiro, o Corinthians se consagra campeão Mundial de Clubes!
Mundo, pode acabar que eu não ligo!


Corinthians minha vida,
Minha história, 
Meu amor! <3

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

O tempo passa, o tempo voa...

Há dez anos me despedia das pessoas que cresci e me mudava para Mogi das Cruzes sem saber bem como seria a minha vida em minha nova cidade. Quando se tem 14 anos, e uma adolescência  pela frente, fica um pouco difícil de imaginar como seria... 
Me lembro como se fosse hoje, eu entrando no carro do meu pai, e fazendo sinal de positivo para as minhas amigas da janela. Era como se eu estivesse dizendo para mim mesma que estava (ou ficaria) tudo bem.
Mogi das Cruzes, cidade que eu só passava de carro para ir à praia e que, de uma hora para a outra, se tornou o meu lar. Sei lá, às vezes pareço que a conheço melhor do que São Paulo.
Posso dizer que vivi os melhores anos da minha vida aqui. As pessoas mais incríveis que tenho contato são daqui. As experiências e lembranças mais fortes foram passadas por estas terras. Mogi estava no meu caminho e eu no dela. 
Claro que às vezes me pego pensando como teria sido a minha vida se tivesse continuado em São Paulo. Será que teria feito faculdade logo depois de sair do ensino médio? Será que meus pais teriam se separado por alguns anos? Será que gostaria das bandas que fazem parte do meu dia a dia? Será, será, será?
Bom, o que posso afirmar é que essa cidade que (hoje) tem tudo que eu preciso, me faz feliz.

Feliz 10 anos de Mogi das Cruzes, Thamy.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Ponto final

No começo do ano tinha a ideia de produzir o TCC sozinha. Não estava a fim de brigar e me estressar com ninguém. Mas aí, sabe como é... acabei me rendendo ao pedido das minhas amigas/filhas e acabamos por produzir um zine sobre cultura independe, o Polaroid
Foi um pouco difícil; tínhamos que convencer o coordenador do projeto e mostrar a relevância acadêmica que o nosso tema tinha, além de conseguir embasamento bibliográfico para desenvolver o conteúdo do TCC.
Foram meses pesquisando, indo à eventos sobre fanzines e cultura independente, entrevistando fanzineiros e pesquisadores, algumas noites sem dormir, preocupação à flor da pele... Tudo para que o nosso filho saísse da maneira que imaginávamos.
Hoje, dia 11, a UMC realizou o Balcap, evento que premia os melhores projetos de comunicação. E não é que ganhamos o prêmio Menção Honrosa?! Não haveria melhor maneira de encerrar este ciclo. Valeu a pena todos os esforços. Isso é prova do valor inestimável e reconhecimento que a cultura independente tem. Não poderia ter feito uma escolha melhor. Um muito obrigada a todos que nos ajudaram a tornar este sonho realidade. E que venham as próximas conquistas!



<3

domingo, 2 de dezembro de 2012

A tal da rejeição

Você dá desculpas para si mesma. Alonga prazos. Diz que entende a situação. Monta uma realidade que só existe em seus devaneios. Aí, chega aquela tal da rejeição, ela, que é  mais pesada que uma âncora, te puxa de volta pra realidade e mostra o quão sozinha você está.

Esse gosto doido, quase auto-flagelo, de se interessar (não disse gostar, ou algo do tipo) por gente que não se interessa por nós. Mas, eu sei que lá no fundo, isso vai acabar. Uma hora tem que acabar. Vai acabar.